Project Description

USO ÉTICO DA SOCIOBIODIVERSIDADE

O Programa Uso Ético da Sociobiodiversidade realiza ações pela conservação e valorização da sociobiodiversidade, estímulo à geração de renda por comunidades agrícolas e extrativistas, fomentando o uso ético da biodiversidade. No momento estamos com 03 programas em andamento:

JABORANDI

  • O jaborandi ou arruda são nomes populares do Pilocarpus microphyllus. Essa planta é matéria-prima para produção da pilocarpina, substância utilizada na fabricação ingredientes ativos com alto valor junto à indústria farmacêutica. Atualmente, os estados do Piauí, Maranhão e Pará representam as regiões de maior ocorrência de extrativismo dessa espécie.

Desde 2009 o Floravida, Grupo Centroflora e demais parceiros vêm atuando com grupos de coletores incentivando o manejo adequado da espécie com tesouras de poda, trazendo benefícios ambientais para a espécie e econômicos para o colhedor, visto que, utilizando as práticas adequadas garantem as safras futuras.

O Programa de Valorização do Jaborandi foca também no empoderamento dos grupos sociais para que trabalhem na coleta das folhas através de cooperativas e associações e, desta forma, se beneficiem pela comercialização direta do produto e por assessoria técnica. Outro componente importante tem sido promover a diversificação de renda nos territórios de modo que as comunidades envolvidas consigam melhorar o nível de sustentabilidade na geração de trabalho e renda em longo prazo. O envolvimento das Escolas Família Agrícola nos territórios como pontos aglutinadores de processos de capacitação sobre manejo sustentável, produção e plantio de mudas pensando em abastecimento futuro, bem como de fomento aos processos de diversificação de trabalho e renda tem sido uma estratégia importante no Piauí e Maranhão.

GUARANÁ

  • O guaraná (Paulinia cupana) é uma espécie vegetal arbustiva e trepadeira da família das sapindáceas da Amazônia, principalmente da região de Maués/AM. Antigamente, era considerada uma planta sagrada e cultivada pelas tribos indígenas Mawé e Andirá, de onde provém do termo “wara’ná”, que significa árvore que sobe apoiada em outra (IBGE, 2004). A mitologia indígena conta que os frutos são os olhos da mulher mais bela da aldeia dos índios Maués, Cereçaporanga, que morreu por amor, e, por que devido sua bondade voltou na forma do guaraná para saciar a fome e a sede de seus irmãos (Farias, 2000). Além do Amazonas, o guaraná é largamente cultivado no sul da Bahia, sobretudo, por agricultores familiares.

A Givaudan, empresa especializada na fabricação de aromas e fragrâncias explora comercialmente aromas advindos dos componentes do guaraná e possui este acesso ao patrimônio genético homologado no Conselho de Gestão do Patrimônio Genético (CGEN). A empresa possui Contrato de Repartição de Benefícios com o Instituto Floravida, responsável por promover ações de desenvolvimento socioambiental e produtivo na região do Baixo Sul da Bahia, base geográfica de onde saiu à primeira amostra de extrato de guaraná utilizada pela Givaudan.

Com objetivo de fortalecer a instrumentalização do arranjo produtivo do guaraná em bases sustentáveis, o Floravida a partir de 2017 além das ações relacionadas a assistência técnica de campo para promover melhores condições de trabalho e renda, também desenvolve atividades na melhoria das condições de vida das famílias dos pequenos agricultores, como, a implementação de tecnologias sociais, regularizações ambientais, reflorestamentos e encontros anuais que promovem a divulgação de resultados obtidos e a interação participativa dos agricultores no Programa.

PASSIFLORA

  • A espécie Passiflora incarnata é conhecida popularmente como maracujá-vermelho, flor-da paixão e maracujá. É uma planta perene rasteira e trepadeira, pertencente à família Passifloraceae e possui distribuição em regiões de clima temperado quente e tropical, é originária do sudeste da América do Norte e Central, hoje é encontrada nas Américas, Europa, Ásia e Austrália.

A Passiflora incarnata é considerada uma planta medicinal, e sua composição química é rica em Flavonoides e Alcaloides, fazendo com que ela tenha ações farmacológicas para o tratamento de nervosismo, inquietação, insônia, histeria, dores de cabeça e até estados epiléticos.Tendo em vista a importância desta espécie, desde 2010 a Passiflora incarnata é cultivada por agricultores dos estados do Paraná e São Paulo, que fornecem essa matéria prima ao Grupo Centroflora. Todos cultivam seguindo os princípios do Programa Parcerias para um Mundo Melhor, que foi criado com o intuito de integrar comunidades rurais, incentivar a agricultura orgânica familiar e fomentar o manejo sustentável de ingredientes naturais.

No ano de 2016, o Instituto Floravida, Sebrae e o Programa Parcerias por um Mundo Melhor do Grupo Centroflora formam uma rede de trabalho para fomentar ações socioambientais dentro da cadeia produtiva da Passiflora incarnata.O marco inicial desse trabalho foi a realização de um diagnóstico rural, elaborado com o conhecimento de campo das três instituições envolvidas. Essa parceria tem como principal objetivo proporcionar melhorias na qualidade de vida desses agricultores. Para isso, foram elencadas três áreas de atuação: Conservação do Meio Ambiente, Regularização ambiental e Regularização Trabalhista, que aplicadas em conjunto fomentam o uso ético da biodiversidade e aumento da geração de renda.